INDABA/INDUNA 2017

01-02-2017

Relatório da Região de Lisboa

Na Casa Diocesana de Nossa Senhora do Socorro, em Albergaria-a-Velha, a 28 e 29 de Janeiro de 2017 realizou-se mais um INDABA / INDUNA. 

Depois de um momento de oração, fomos convidados a apresentar-nos, num ambiente descontraído, que aliás foi regra em todo o encontro, mas onde houve sempre seriedade a debater as ideias, por vezes com algum calor talvez para mitigar o frio que se fez sentir durante esses dois dias.

Um dos pontos de realce foi a presença pela primeira vez dos representantes dos núcleos que ainda não têm região formada, o que só por si enriqueceu o debate e permitiu perceber o quanto estão isolados.

Contando com eles, ao todo éramos cerca de 25 pessoas.

Durante os 2 dias, foi exposto o programa dos departamentos nacionais: Formação, Administração/Financeira, Ambiente, RádioEscutismo, Expansão, Comunicação e Imagem, Internet e Multimédia e ainda da área Internacional e do Depósito de Material e Fardamentos.

Algumas das novidades situam-se, principalmente, na preocupação de conciliar o calendário nacional com algumas actividades regionais com datas anualmente fixas; a nível da Formação que passará a ter 2 momentos por ano podendo contudo haver mais se houver interessados e disponibilidade do quadro nacional de formadores; no método de entrega das vinhetas que agora serão disponibilizadas conjuntamente com distintivo anual no acto da apresentação e pagamento do censo do núcleo; no esforço que vai ser feito em termos de expansão contactando e divulgando junto da hierarquia da Igreja e do CNE e na criação de suportes impressos e digitais para apresentações do que é a FNA; no empenhamento que cada departamento fará em matéria de expansão interligando-se com o respectivo departamento e por fim, na dinamização do Depósito de Material e Fardamento que passará a concentrar em si a maior parte das peças do uniforme identificadas com a sigla FNA (parka, camisas, polo, camisola de lã, polar, meias, chapéu, boina, lenços, jarreteiras e outras mais que a seu tempo aparecerão) ultrapassando assim a dificuldade que surgiria quando o CNE deixar de ter um uniforme semelhante ao da FNA e a dispersão de material que existe à venda em diferentes núcleos.

Terminando, saliento o modo simpático com que fomos recebidos e tratados pelo responsável da Casa Diocesana e seus colaboradores que dentro das suas limitações tudo fizeram para que, com imensos cuidados, nos sentíssemos em casa, bem alimentados e dormidos. 

Não quero deixar de realçar o Senhor Capelão Padre Manuel Cirne que com os seus 90 anos mostrou-nos como exprime a sua fé com uma jovialidade ainda muito intensa.

Por fim, um voto de reconhecimento à nova equipa Nacional e aos seus mais próximos colaboradores por este evento e por terem sabido auscultar humildemente a associação através dos seus representantes e permitindo uma maior união entre todos deixando-nos na certeza de que estamos no bom caminho de tornarmos esta instituição cada vez mais dinâmica e mais forte para enfrentar os desafios que nos permitem deixar este Mundo verdadeiramente melhor e mais justo.


José Abreu

Presidente da Direcção Regional de Lisboa