Ano da Graça de 2017

29-12-2016

O diácono permanente Armando Dilão apoia directamente o Assistente Regional, Pe. Bernardo Xavier Félix. Deixou-nos uma "reflexão-comunhão" sobre o novo Ano que se aproxima.

1 - Ano Novo vida nova - diz o ditado popular.

Recordo, na minha infância, um dos hábitos na passagem do ano, deitar para a rua os trastes velhos que existiam em casa. Nós ao vivermos intensamente o tempo do Natal, que propósitos temos para este novo ano...? Façamos o propósito de libertar os nossos corações de algumas "velharias", que nos fazem sofrer e, aos outros, nos paralisam, nos tornam cegos, surdos e mudos. Este é o tempo oportuno para o fazermos - Ele já veio - «Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho; e hão-de chamá-lo Emanuel, que quer dizer: Deus connosco» (Mt 1,23).

Abramos os corações à graça que nos trouxe Jesus Cristo. Com essa graça, arranquemos definitivamente o tríplice pecado, que vem das origens - o ciúme, inveja e orgulho, que nos destrói implacavelmente e torna a humanidade infeliz.

Recomendo a leitura da Mensagem do Santo Padre Francisco para celebração do 50º DIA MUNDIAL DA PAZ.


2 - A Liturgia da Igreja, proporciona-nos passos muito importantes na caminhada de conversão neste novo "Jogo de Pista":

Dia 1 de Janeiro - Santa Maria Mãe de Deus, Dia Mundial da Paz. Vamos pedir à Mãe de Jesus e nossa, que estabeleça a paz nos nossos corações, nas famílias e instituições de todo o Mundo.

Dia 8 - Epifania do Senhor - Peçamos a Jesus que nos ajude a revelá-Lo através do nosso testemunho do Amor Misericordioso de Deus, em todo o nosso peregrinar sinodal.

Dia 9 - Baptismo do Senhor - Peçamos a Jesus a graça de cultivarmos uma fé inteligente e libertadora, que nos fortaleça no nosso compromisso de Povo de Batizados, acreditando verdadeiramente que Deus nos ama.

Dia 22 - São Vicente, Diácono e Mártir, padroeiro principal do Patriarcado de Lisboa - pedindo por seu intermédio que Deus nos dê a graça para não desanimarmos na nossa caminhada de realização humana e cristã, em total comunhão com o nosso Pai na Fé - o Senhor Patriarca, o nosso Assistente, os nossos Párocos, seus colaboradores e com toda a Comunidade Eclesial.

Dia 25 - Conversão de São Paulo - Orando e vigiando pela nossa conversão, procurando ter como único sentido de vida - Jesus Cristo - e digamos com S. Paulo: «Para mim anunciar o Evangelho não é motivo de orgulho, é uma necessidade que se me impõe: ai de mim se não anunciar o Evangelho.» 1Cor 9, 16.

Santa Maria, sede nossa Mãe e Mestra neste peregrinar de 2017.

Diác. Armando Dilão